Águas de Niterói aumentará contas em 2,19%, em julho

Dois serviços essenciais para a vida urbana, o saneamento básico e a energia elétrica vão ter novos reajustes em meio à pandemia de Covid que contamina a economia dos cidadãos. Os síndicos de condomínios devem se preparar para o segundo reajuste das tarifas da concessionária Águas de Niterói. As contas de julho serão majoradas em 2,19% no segundo aumento do ano concedido à empresa pela prefeitura de Niterói, totalizando 9,22% desde dezembro último.

Com a seca que se avizinha, deixando as hidrelétricas com pouca capacidade de produção, o adicional da bandeira vermelha 2, cobrado nas contas de luz para cobrir o gasto com usinas termelétricas, deverá subir mais de 60%. Essa sobre tarifa que ainda está sendo calculada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), deverá ser anunciada este mês.

As contas de água e esgoto de julho, com vencimento em agosto, vão aumentar pela segunda vez este ano. A prefeitura de Niterói autorizou, pela primeira vez, a aplicação de dois reajustes em um mesmo ano, totalizando 9,22%. Nas contas de janeiro deste ano, a concessionária já aplicou o índice de 6,88%. Agora, em julho, a tarifa básica será corrigida em 2,19%.

A prefeitura de Niterói alegou que concedeu esse reajuste total de 9,22% “com base nos índices inflacionários”. Mas que, “em razão da pandemia – COVID-19, ficou a diferença de 2,34% postergada a sua aplicação para julho/2021 (sic)”.

Diante da dúvida levantada na época pelo SinCond, de que não ficara claro no ato autorizativo do aumento das contas de água e de esgoto como seria aplicado o segundo índice, a prefeitura publicou depois uma corrigenda ao ato do presidente da Emusa, reduzindo o segundo aumento para 2,19% sobre as contas de julho/21.

A autorização foi dada a Águas de Niterói através da Emusa (Empresa Municipal de Urbanismo e Saneamento) em ato do presidente publicado no Diário Oficial de 28 de novembro do ano passado.

Bandeira vermelha

Para cobrir o custo da geração de energia pelas termelétricas, devido à seca prevista para o segundo semestre que afetará os reservatórios das hidrelétricas, a Aneel vai aumentar os valores das bandeiras tarifárias.

A taxa extra que é acionada quando o custo da geração de energia sobe, hoje é cobrada a cada cem quilowatts-hora (kWh) consumidos na bandeira amarela (R$ 1,34); na bandeira vermelha 1 (R$ 4,16); e na vermelha 2 (R$ 6,24). Na bandeira verde não há cobrança adicional.

Pelos cálculos da Aneel, o novo valor da bandeira vermelha 2 deve ser de cerca de R$ 10. Essa bandeira deverá vigorar pelo menos até novembro, quando tem início o período úmido.

Notícias Relacionadas:

Facebooktwittergoogle_plus
Conteúdo: Nota Bene Editora | Designed by HospedaNit.